Direkt zum Inhalt | Direkt zur Navigation

Página Inicial

Startseite Arquivo de notícias ONU propõe acordo para separação de dados sobre raça e etnia nos censos nacionais
Artikelaktionen

ONU propõe acordo para separação de dados sobre raça e etnia nos censos nacionais

Conferência de Revisão de Durban, que acontece de 20 a 24 de abril, em Genebra, pretende firmar acordo nas Américas para melhorar dados sobre etnias. Primeiras mudanças já serão visíveis em 2010 em alguns países

O enfrentamento do racismo, xenofobia e intolerâncias correlatas será o tema central da Conferência de Revisão de Durban, que acontece de 20 a 24 de abril em Genebra (Suíça). O encontro, convocado pela Organização das Nações Unidas (ONU), pretende estabelecer novos marcos nos programas nacionais para implementação de políticas contra racismo e discriminação.

Um dos pontos altos da conferência deverá ser o comprometimento das Américas para a melhora das bases de coleta de dados censitários por raça e etnia. As primeiras mudanças serão visíveis nos Censos de 2010 de países como Argentina, Brasil, Bolívia, Costa Rica, Cuba, Estados Unidos e República Dominicana.

Coordenadora de Programa de Gênero, Raça e Etnia do Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), Maria Inês Barbosa, considera esse momento como decisivo para o alinhamento de políticas públicas de combate ao racismo e articulações sociais no mundo.

“Para que políticas de ações afirmativas sejam implementadas, em acordo com a Declaração e o Plano de Ação de Durban, é necessário estabelecer quem são as vítimas do racismo”, afirma Maria Inês, que é responsável pelo Programa de Incorporação das Dimensões de Gênero, Raça e Etnia nos Programas de Combate à Pobreza do Brasil, Bolívia, Paraguai e Guatemala.

A Conferência de Revisão de Durban tem marcos importantes, como a Conferência Regional das Américas sobre Avanços e Desafios do Plano de Ação contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas, promovida em 2006 pelos governos brasileiro e chileno.

Desagregação de dados

Atualmente, apenas nove de 19 países latinoamericanos possuem dados estatísticos em relação aos afrodescendentes. A desagregação de dados estatísticos - como é chamado o estabelecimento de categorias - por etnia e raça já é trabalhada em fóruns internacionais.

De acordo com a economista costarriquenha Epsy Campbell, o grupo de afrodescendentes tem um grande peso populacional. A estimativa é de que afrodescendentes representam mais de 120 milhões de pessoas na região, mas que aparecem em menor número por causa do erro nos censos.

“Incorporar os e as afrodescendentes na rodada de censos 2010 é uma responsabilidade não só dos institutos especializados na área, mas também dos Estados que não podem continuar furtando-se de suas responsabilidades."

Com informações do UNIFEM


Leia mais sobre a Conferência de Revisão de Durban no site www.un.org/durbanreview2009/ (em Inglês)