Direkt zum Inhalt | Direkt zur Navigation

Página Inicial

Startseite Arquivo de notícias Julgamento do austríaco Josef Fritzl
Artikelaktionen

Julgamento do austríaco Josef Fritzl

O homem de 73 anos manteve a filha presa no porão de sua casa por 24 anos e teve com ela sete filhos.

 

O caso do austríaco que manteve a filha em cárcere privado por 24 anos começou a ser julgado nesta segunda feira, 16 de março.

Elizabeth viveu no porão da casa durante seu cativeiro, onde teve seus seis partos (um de gêmeos) sem qualquer assistência médica. Os atos do acusado vieram à tona no ano passado, quando levou sua filha-neta mais velha ao hospital. Fritzl se declarou culpado por ter cometido incesto, manter os filhos em cárcere privado e parcialmente culpado por estupro. Porém negou qualquer envolvimento com a morte de uma das crianças, um dos gêmeos, que morreu em 1996. Segundo a acusação, Fritzl é culpado por negligência: com adequado tratamento médico, o bebê teria sobrevivido.

 Se condenado por homicídio, o austríaco pode pegar prisão perpétua. Já por incesto, a pena máxima que poderá pagar é de um ano. De acordo com lei austríaca, as penas não são cumulativas, cabendo ao condenado cumprir a maior delas. A pena por estupro varia de acordo com a agressão e as conseqüências para a vítima.

Três dos filhos resultantes do incesto moravam com Fritzl e sua mulher, para quem o pai-avô das crianças teria simulado um abandono dos recém-nascidos na porta da casa. As outras três crianças passaram a vida inteira no porão com a mãe, Elizabeth. De acordo com a polícia, não há qualquer prova da cumplicidade da mulher de Fritzl, que afirmou desconhecer o que se passava no porão da casa.

 

Leia mais:

http://www.bemparana.com.br/index.php?n=100755&t=austriaco-confessa-incesto-e-estupro

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/mundo/conteudo.phtml?tl=1&id=867699&tit=Fritzl-admite-culpa-em-estupro-e-sequestro-e-fala-de-infancia-durissima