Direkt zum Inhalt | Direkt zur Navigation

Página Inicial

Startseite Arquivo de notícias II Encontro Nacional de Núcleos e Grupos de Pesquisa discute participação das mulheres no meio acadêmico
Artikelaktionen

II Encontro Nacional de Núcleos e Grupos de Pesquisa discute participação das mulheres no meio acadêmico

O evento acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de junho e discutirá a presença de mulheres nos sitemas de educação no Brasil.

O II Encontro Nacional de Núcleos e Grupos de Pesquisa - Pensando Gênero e Ciências começa na próxima semana e apresenta o tema "Institucionalização dos estudos feministas, de gênero e mulheres nos sistemas de Educação, Ciência e Tecnologia no país". O evento acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de junho, em Brasília.

Esse encontro materializa os objetivos gerais do II Plano Nacional de Política para as Mulheres (II PNPM) no que diz respeito à promoção e fortalecimento da participação igualitária, plural e multirracial das mulheres em espaços de poder e decisão; ao estímulo à participação das mulheres nas áreas científicas e tecnológicas; e à produção de conhecimentos nas áreas de gênero, ampliando o debate sobre as dimensões ideológicas do sexismo, lesbofobia e racismo em todas as áreas do conhecimento e desconstruindo estereótipos e representações em relação à violência de gênero. 

A ideia do encontro é estimular e fortalecer a produção de pesquisas e estudos na área de gênero e estabelecer medidas e ações que contribuam para a promoção das mulheres no campo das ciências e nas carreiras acadêmicas. 

Segundo dados do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em 2002, para cada pesquisador homem havia 0,84 pesquisadora cadastrada no Diretório de Grupos de Pesquisa. A relação diminui ainda mais na concessão de bolsas de produtividade: para cada pesquisador contemplado, há apenas 0,48 pesquisadora na mesma situação. Já na Academia Brasileira de Ciência, por exemplo, as mulheres ocupam cerca de 8% das cadeiras: são apenas 26 num total de 353 membros. 

O encontro é voltado para redes, grupos, núcleos de estudo, comissões de universidades e grupos de estudo que têm como enfoque a questão de gênero. Foram abertas 300 vagas, mas as inscrições acabaram em maio.