Direkt zum Inhalt | Direkt zur Navigation

Página Inicial

Startseite Arquivo de notícias Diminui a participação feminina nos cargos de direção do Governo Federal
Artikelaktionen

Diminui a participação feminina nos cargos de direção do Governo Federal

A proporção de mulheres nos cargos de direção do Governo Federal (DAS 3 a 6) passou de 39,6% para 38,7% entre os anos de 2007 e 2008.

Segundo dados do Boletim Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a proporção de mulheres nos cargos de direção do Governo Federal (DAS) passou de 43,3% para 42,7% entre os anos de 2007 e 2008, embora a ocupação de mulheres nestes cargos tenha aumentado em números absolutos.

Os DAS são gratificações acumuladas à remuneração dos servidores, ou a eles concedidas, pelo exercício de cargos de Direção e Assessoramento Superiores. Quanto mais elevados forem, maiores serão os valores da gratificação, bem como a responsabilidade e o poder de seus ocupantes.

Conforme levantamento do ministérios (clique na figura ao lado para aumentá-la), a redução não é observada para os cargos de DAS 1 e DAS 6 – o mais baixo e o mais alto na hierarquia – cuja proporção de mulheres se manteve estável nos dois anos. Nos cargos de DAS 3 a 5, que representam cargos de alta remuneração e de exercício de chefia, foram verificadas quedas que variaram de 0,9 a 0,2 pontos percentuais.

Vale ressaltar, porém, que a queda verificada não se deve a uma redução no número absoluto de mulheres ocupantes de DAS, mas ao fato de que o quantitativo de servidores federais foi ampliado e, nesse processo, mais homens entraram no aparato estatal ocupando cargos de direção e assessoramento do que mulheres.

Verifica-se, então, que enquanto apenas 66 mulheres conquistaram novos postos de poder e decisão entre 2007 e 2008 (aumento de 0,8%), 376 homens conquistaram estas posições (aumento de 3,3%). Ou seja, as mulheres representaram apenas 14,9% dos novos ocupantes de cargos DAS, sendo que esta proporção é ainda menor (7,7%) quando se analisa a participação feminina em relação ao total de novos ocupantes dos cargos de alto escalão (DAS 3 a 6).