Skip to content. | Skip to navigation

Página Inicial

Home Arquivo de notícias ONGs feministas lançam hotsite “Mais direitos, mais poder para as mulheres brasileiras”
Document Actions

ONGs feministas lançam hotsite “Mais direitos, mais poder para as mulheres brasileiras”

18.04.2012 - Iniciativa faz parte de programa desenvolvido por sete ONGs feministas, em parceria com a SPM. Ambiente virtual serve também para contribuir com a implementação do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres e ampliar a participação social e democratização dos espaços de governo.

Foi lançado, na semana passada, o hotsite do programa Mais direitos, mais poder para as mulheres brasileiras , desenvolvido por um consórcio composto por sete organizações feministas não-governamentais (SOS Corpo, Rede de Desenvolvimento Humano - REDEH, Instituto Patrícia Galvão, Geledés, Cunhã Coletivo Feminista, Coletivo Leila Diniz e Centro Feminista de Estudos e Assessoria - CFEMEA) em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).

A iniciativa tem como objetivo fortalecer os movimentos feministas e de mulheres do Brasil e também as instituições governamentais. Nesse sentido, o hotsite serve também como ferramenta de comunicação e divulgação das atividades que possam contribuir com a continuidade e a  implementação do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM). O espaço está aberto para receber textos, notas e comentários acerca das políticas para as mulheres. 

O programa “Mais direitos, mais poder para as mulheres brasileiras” está voltado para três áreas centrais de atuação: a participação das mulheres nos espaços de poder e decisão; e a autonomia econômica das mulheres, por meio de sua participação formal no mercado de trabalho, e fortalecimento dos processos organizativos dos Movimentos de Mulheres na preparação da 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres e democratização dos espaços de decisão política governamental. O programa combina ações para a igualdade de gênero e raça e etnia, tendo como uma das prioridades a situação das mulheres negras no Brasil, e pretende produzir indicadores de gênero e raça, em especial sobre racismo institucional, e incidir no fortalecimento político e produção de conhecimento, em particular a equiparação de direitos para as trabalhadoras domésticas.

O programa é financiado pelo Fundo para a Igualdade de Gênero, da ONU Mulheres - Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, e terá duração até 2013.

Acesse aqui o Hotsite.

Fonte: Comunicação Social - Secretaria de Políticas para as Mulheres - Presidência da República